Skip to main content

Exemplos de profissionais que decidiram migrar para a estética depois que sentiram a mudança na própria pele

Conheça a visão de duas profissionais da saúde que decidiram migrar para a estética e como esta decisão está impactando em suas perspectivas de carreira.

Há diferentes motivações para que um profissional da saúde queira migrar para a estética, seja porque está exaurido com os plantões e quer fazer os próprios horários, seja pelo reconhecimento, pelo retorno financeiro, ou pela satisfação de fazer acontecer a mudança de autoestima no paciente.

Ainda que todos esses benefícios possam ser sentidos com a mudança de carreira para a estética, há profissionais cuja motivação principal para migrar para a estética vem depois de perceber a verdadeira revolução que procedimentos podem proporcionar, mas sentindo na própria pele, depois de sentar na cadeira de paciente e usufruir da mudança na própria confiança.

É um processo que diversos profissionais relatam: trabalhavam de uma forma, estavam frustrados, ou mesmo inquietos e uma nova possibilidade se descortinou depois que viram a mudança por meio da estética no espelho e a experienciaram em suas vidas, daí surge a pergunta: “E se eu pudesse ser agente dessa forma de mudança na vida de outras pessoas também?”.

Talvez antes disso a possibilidade não tenha sido sequer considerada, mas o cuidado com as pessoas -muitas vezes principal motivação de quem se graduou para trabalhar com a saúde – ganha essa nova oportunidade, uma que lida com a felicidade das pessoas invés de dores e enfermidades, o que é muito recompensador no cotidiano.

Nas carreiras da saúde, acompanhar e auxiliar na recuperação do paciente é gratificante, mas em rotinas de plantões em que se lida com patologias e sofrimento, muitas vezes sem que se tenha muita esperança de recuperação, isso se o profissional não ficar apenas nos bastidores, lidando com análises clínicas ou em balcões de atendimento em que só aparecem pessoas doentes.

Conheça o exemplo de duas profissionais da saúde

Ela resolveu migrar para a estética depois de 14 anos dedicados a oncologia

Patrícia Pereira de Souza é uma das profissionais exemplo entre as que decidiram migrar para a estética depois de se dedicar a tratamentos oncológicos por 14 anos enquanto enfermeira.

Em um momento que Patrícia estava se sentindo desmotivada e insatisfeita com a própria aparência, ela realizou alguns procedimentos e sentiu uma renovação de ânimos, foi então que começou a pesquisar sobre, entender se podia fazer o mesmo por outras pessoas, e descobriu na Pós-Graduação em Enfermagem Estética uma oportunidade de realizar isso.

Além desse primeiro interesse que a moveu para a estética, ela também destaca o desejo de conseguir trabalhar menos: “Eu também vou ter um pouco mais de tempo, então eu tenho essa qualidade de vida, porque não adianta só trabalhar, trabalhar, trabalhar e não viver, né? Acho que você tem que conseguir fazer as duas coisas, ter um equilíbrio.”

Isso porque os procedimentos estéticos são tão valorizados e bem remunerados que possibilitam mais flexibilidade de horários, o que, no caso da Patrícia, vai dar mais tempo para dedicar a sua família. Você pode conhecer melhor sobre a trajetória dela clicando aqui.

Caso de Sucesso em Enfermagem Estética – Patrícia Pereira de Souza

Ela foi para Harmonização Orofacial após 8 anos de graduação

Outra profissional que decidiu migrar para a estética depois que sentiu os resultados de procedimentos na própria vida foi a Dra. Laila Graziela. Pós-graduanda em HOF, ela relata que se incomodava com alguns aspectos da própria aparência, e por isso foi atrás de melhorar a relação com sua autoimagem.

Há 8 anos formada em Odontologia, Dra. Laila relata que seu interesse pela formação veio de suas referências familiares, já que sua mãe e irmã também são cirurgiãs-dentistas, e inicialmente seguiu pela área cirúrgica, apesar de hoje em dia atuar mais com ortodontia.

Migrar para a estética

Depois que resolveu migrar para a estética, ela fez alguns cursos e, além de notar a mudança na própria experiência enquanto paciente, começou a ter também acesso a perspectiva de esteta, de agente de mudança na autoestima de seus pacientes.

Hoje, ela está se especializando em Harmonização Orofacial e Cirúrgica para obter ainda mais segurança em sua atuação como esteta.

Dra. Laila também relata que é muito diferente trabalhar com harmonização em comparação com outros tipos de tratamento que ela realiza, ela se sente muito mais empolgada, e comenta que: “Você vê que o paciente se sente muito melhor, mais feliz, sai dali realizado. E eu, vendo a melhora que eu posso causar na pessoa, me satisfaço muito.”

Percebemos que é outro tipo de satisfação que o trabalho na estética proporciona. A motivação de seguir por esse caminho pode ser muito própria de cada pessoa, naquilo que é específico da própria trajetória, mas a todos aqueles que tiverem o interesse e identificarem como uma possibilidade para mudar os rumos na carreira e, quem sabe, até da própria vida como um todo, tem grandes chances de obter conquistas grandiosas, e ajudar muita gente no caminho.

Confira também: Odontologista de Jundiaí quer proporcionar a mesma confiança que obteve com procedimentos estéticos.

Graduada em Comunicação Social com Habilitação Publicidade e Propaganda, Leda é uma das redatoras do time de marketing Nepuga | Fapuga. Escreve também para os blogs parceiros Biomedicina Estética, Enfermagem Estética e Farmácia Estética.
Veja mais Noticias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This